Mais de 430 escolas alagoanas participam da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Mostra de Foguetes

Quatrocentos e trinta e seis escolas da rede pública e particular de Alagoas participam esta semana da 22ª edição da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e da 13ª edição da Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG).  As provas da OBA serão aplicadas nesta sexta-feira (17), enquanto os lançamentos de foguetes da MOBFOG podem ser realizados nesta mesma data.

A OBA consiste na realização de uma prova de dez questões sobre astronomia e astronáutica, enquanto a MOBFOG promove o lançamento oblíquo de foguetes, sendo premiados aqueles que alcançarem as maiores distâncias possíveis. Ambas as competições contam com quatro níveis: nível 1 (1º ao 3º do ensino fundamental); nível 2 (4º e 5º anos); nível 3 (6º ao 9º anos) e nível 4 (ensino médio).

Em Alagoas – De acordo com informações da organização das duas competições, Alagoas possui 436 escolas cadastradas e aptas para a OBA e MOBFOG.

O número supera a edição de 2018, que contou com 183 unidades de ensino e 15.356 alunos participando da OBA, enquanto 51 escolas e 2.751 estudantes se fizeram presentes na MOBFOG. Destes, Alagoas teve 679 medalhistas da OBA (238 de ouro, 162 de prata, 279 de bronze) e 494 na Mostra de Foguetes (123 de ouro, 187 de prata, 184 de bronze).

Lançamento de ouro – A Escola Estadual Moreira e Silva foi um destes destaques. Em 2018, a equipe composta pelos estudantes Dhemyson Elis Santos, Rafael Silva Santos e Camila dos Santos – sob a orientação da professora de física Gláucia Dionísio – alcançou o ouro na MOBFOG com o lançamento de 240,5 m. A equipe, junto com o Colégio Contato, representou Alagoas na Jornada de Foguetes disputada na Barra do Piraí, Rio de Janeiro, em outubro do ano passado. Lá, conquistou medalha de bronze, com um lançamento de 98m.

Foi a primeira vez que a escola participou da Mostra de Foguetes. “Este ano, competimos com duas equipes e fizemos algumas modificações no foguete. A MOBFOG é uma excelente ferramenta para o ensino da Física. Por meio dela, por exemplo, podemos mostrar, na prática, a  Terceira Lei de Newton”, diz a professora Gláucia.

Para os estudantes, participar da OBA e MOBFOG é uma experiência positiva. “Por meio do lançamento de foguetes, aprendemos Física de maneira mais dinâmica e percebemos que ela está presente no nosso dia a dia”, avalia Camila. “O evento nos trouxe muito aprendizado e, além disso, fizemos muitas amizades”, complementa Dhemyson.

Para a diretora da escola, Joseane Martins, a conquista da equipe é motivo de orgulho para toda a instituição. “Ficamos muito felizes com as medalhas da Mostra de Foguetes, pois contribuem para o futuro de nossos alunos, os quais, posteriormente, podem investir na carreira científica no futuro”, revela a diretora.

Ascom – 14/06/2019

(Visited 5 times, 1 visits today)