Alagoas busca acordo de cooperação com Israel para gerir recursos hídricos

Alagoas iniciou as tratativas para formalização de um acordo de cooperação com o Estado de Israel. O objetivo é estabelecer um plano de gestão dos recursos hídricos, sobretudo das águas do Canal do Sertão e o emprego de tecnologias avançadas de produção a baixo custo.

Nesse sentido, o governador Renan Filho se reuniu, na tarde desta terça-feira (14), com Diego Berger, coordenador de projetos internacionais da Mekorot (empresa de abastecimento de Israel), secretários estaduais, diretores de órgãos e com representantes do setor produtivo alagoano.

Berger é um dos palestrantes do Seminário Inovação no Semiárido: A Experiência de Israel, que será realizado nesta quarta-feira (15) pelo Sebrae, em parceria com o Governo do Estado. O evento acontece no auditório da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Alagoas (Faeal), a partir das 8 horas.

“Eu acredito que a gente pode transformar esse seminário num ponto de inflexão para, a partir dele, construir um cronograma de ações concretas e assim orientar os nossos próximos passos. Podemos também formar um grupo de interlocução entre o Governo e o setor produtivo”, propôs o governador.

O seminário busca debater tecnicamente questões correlacionadas ao Semiárido alagoano e propor alternativas em termos de projetos, programas e políticas públicas para o desenvolvimento regional, a partir do intercâmbio de conhecimentos e da experiência de Israel.

Berger recordou que Israel tem uma história de 80 anos na gestão dos recursos hídricos e pode colaborar decisivamente com Alagoas.  “Com base nessa experiência, é possível fazer aqui esse processo em menos tempo; é pegar as coisas que são mais importantes e adaptá-las a vocês”, disse o diretor da Mekorot, empresa de abastecimento de Israel que está entre as 10 maiores do mundo neste segmento. Ele classificou como “muito positiva” a reunião com o governador de Alagoas.

“O governador tem uma ideia muito clara do que tem de ser feito. Essa é a diferença entre um político e um líder, que ver muito mais à frente”, afirmou Berger. “Temos em Israel a cultura da escassez e, por isso, a gente dá esse valor que tem a água. No Brasil, há a cultura da abundância e é preciso mudar isso, o que demanda tempo”, acrescentou.

A reunião foi realizada no Salão de Despachos do Palácio República dos Palmares e contou, ainda, com a participação da assessora especial do Consulado de Israel em São Paulo, Sheila Golabeck; o chefe do Departamento de Engenharia e Sistemas para o Desenvolvimento, Produção e Meio Ambiente do Instituto de Engenharia Agrícola (Volcani – Israel), Beni Lew; e o diretor-geral do Instituto Ramat Negev – Israel, Zion Shemer.

Também estiveram presentes ao encontro o superintendente do Sebrae/AL, Marcos Vieira; o vice-presidente da  Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea), José Nogueira; o diretor-presidente da Faeal, Álvaro Almeida; do Instituto do Meio Ambiente (IMA), Gustavo Lopes; da Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal), Fábio Guedes; da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), Clécio Falcão; além dos secretários de Estado da Fazenda, George Santoro; do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Fernando Pereira; e da Ciência, da Tecnologia e da Inovação, Cecília Rocha.

Ascom – 15/05/2019

(Visited 3 times, 1 visits today)